26 Março, 2017      10:13 GMT +1 Luanda

Angola alcança auto-suficiência em gás butano

Enviar por E-mail Versão para impressão

20170309Os níveis de produção conseguidos com o projecto Angola LNG permitiram que o país seja actualmente auto-suficiente em gás butano, afirmou terça-feira em Houston, Texas, um administrador executivo da Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol).

Edson dos Santos fez este  anúncio à margem da “CERAweek”, uma das principais conferências sobre petróleo e gás natural à escala mundial, em que a Sonangol participa com uma delegação chefiada pela presidente do Conselho de Administração, Isabel dos Santos.

O administrador, responsável pelas áreas da pesquisa e produção, logística, distribuição e navegação e pela Sonangol Gás Natural (Sonagás), salientou que o projecto enfrentou dificulades devido a um problema de concepção mas acrescentou “já está tudo resolvido.”

A resolução dos problemas, prosseguiu, permitiu que a unidade de processamento do Soyo tenha estado a operar ininterruptamente desde o último trimestre de 2016 e que Angola tenha passado a ser auto-suficiente no que se refere ao gás butano, “cujas importações devem cessar este ano.”

Edson dos Santos, citado pela agência noticiosa Angop, adiantou que a Angola LNG efectuou sete carregamentos de gás natural em 2016, sendo que a previsão para este ano ascende a 58.

Lançado em 2007 para aproveitar o gás natural resultante da exploração petrolífera, o projecto reúne, além da Chevron (36,4%), a estatal Sonangol (22,8%), a britânica BP Exploration (13,6%), a italiana ENI (13,6%) e a francesa Total (13,6%).

Representa, além disso, um dos maiores investimentos alguma vez efectuados na indústria petrolífera angolana – 10 mil milhões de dólares – dispondo de sete navios-tanque e três cais de carregamento e tendo por objecto eliminar a queima de gás natural resultante da exploração petrolífera. (Macauhub)

 


beyond_words
beyond_words